​ISCV promove oficina para novos membros

Para iniciar o ciclo 2015, o GVces reúne os novos membros de ISCV para apresentar o trabalho desenvolvido pelo projeto em seus ciclos anteriores e para mostrar a proposta de trabalho em 2015 04/03/2015
COMPARTILHE

Bruno Toledo

As empresas não podem se enxergar mais como organismos isolados entre si. Sozinhas, elas não são mais capazes de resolver problemas sérios para o negócio – principalmente por causa da complexidade que esses problemas vêm adquirindo atualmente. Na ótica da sustentabilidade, as empresas precisam atuar dentro das redes nas quais estão inseridas para confrontar esses desafios de forma mais eficiente – e isso já é uma realidade do mercado.

“Os diferenciais competitivos são definidos cada vez mais pelas cadeias, e não pelas empresas individualmente”, argumenta Maurício Jerozolimski, pesquisador do Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV-EAESP (GVces). “Por isso, é importante que as empresas passem a atuar conjuntamente, principalmente quando falamos de inovação para sustentabilidade”.

Essa é a lógica que permeia o projeto Inovação e Sustentabilidade na Cadeia de Valor (ISCV), uma iniciativa empresarial do GVces em parceria com o Citi e patrocínio da Citi Foundation, que entra em seu 4º ano de atividade em 2015. Para inaugurar os trabalhos nesse ano e alinhar as novas empresas membro da iniciativa, o GVces promoveu uma oficina introdutória em 25 de fevereiro passado, na FGV de São Paulo.

A proposta de ISCV é promover a inovação para a sustentabilidade a partir de pequenos e médios empreendimentos no contexto da cadeia de valor de grandes empresas, cultivando assim uma relação de cooperação entre esses atores. Para as grandes empresas, essa abordagem pode resultar em melhoria de processos, redução de custos e riscos, eficiência no uso de recursos, entre outros benefícios. Já para os pequenos e médios empreendimentos, o maior relacionamento com grandes empresas pode ajudar no aperfeiçoamento de produtos, serviços e modelos de negócios. A articulação entre estes diferentes atores em suas cadeias de valor amplia as condições de inovação para sustentabilidade.

Em seus ciclos anteriores, ISCV focou temas como gestão de fornecedores, pós-consumo e desenvolvimento local. Em 2015, a proposta de trabalho de ISCV gira em torno dos desafios da distribuição e logística. “Neste ciclo, queremos olhar para a realidade de pequenas e médias empresas que atuam em distribuição e logística, buscando inovações para gestão de impactos econômicos, sociais e ambientais”, explica Maurício. “Queremos explorar as oportunidades de inclusão social nesses setores a partir do empreendedorismo e de negócios envolvendo micro, pequenas e médias empresas”.

O formato das atividades de 2015 segue o que foi realizado por ISCV em seus ciclos anteriores. Serão realizadas três oficinas ao longo do ano, que abordarão tópicos como o contexto de distribuição e logística no Brasil, desafios e oportunidades nessa área, gestão de impactos nas redes, instrumentos de monitoramento e relato, além de práticas inovadoras para incorporação da sustentabilidade nos processos de distribuição e logística no Brasil. Entre março e junho, o projeto também realizará uma chamada de casos inovadores em distribuição e logística, protagonizados por pequenos e médios empreendimentos na cadeia de valor de grandes empresas.

Mais informações sobre o ciclo 2015 aqui.

Fotos: Felipe Frezza (GVces)